ORIGENS DA APOMETRIA
Apometria é uma técnica de cura oriunda da Aumbandhã – Lei Maior Divina ou Sabedoria Secreta, setenária e esotérica, originária de uma estrela da Constelação de Sírius, muito próxima ao Grande Sol Central. Ela é por nós conhecida desde os tempos de Atlântida, época em que nosso querido Ramatis foi Sacerdote Aumbandhã. É aplicada apenas a espíritos vivendo como seres humanos, por ser lastreada numa ordem setenária, onde através de imposição de pulsos magnéticos, comandados por pessoa treinada, faz-se o desdobramento dos sete corpos que nos compõe, ou seja, faz-se com que os nossos sete corpos afastem-se temporariamente, para que nossos irmãos maiores, médicos do espaço, possam realizar em separado, mais rapidamente, portanto, em nós uma transmutação energética de forma plena, proporcionando assim a nossa cura, através da dissolução das disfunções a que chamamos de doenças. A propósito, essas disfunções existem em função do desentendimento entre nosso emocional e nosso racional, ou melhor, entre nossos pensamentos e sentimentos. Sejamos, portanto, fieis a nossos pensamentos e sentimentos, que tudo muda em nossa vida.

Embora sendo um sistema de cura bastante antigo, sendo como dito acima já utilizado em Atlântida, foi por nós mesmos completamente relegado ao esquecimento.

Já em nosso tempo, em 1.867, essa técnica de cura, que ainda não levava o nome de Apometria, era descrita através de seus métodos e mecanismos, pelo Sr Peyanne, na Sociedade Espírita de Bordeaux, sob aquiescência de Kardec. Ainda nesse período coube a outro cientista e pesquisador da Doutrina dos Espíritos, Ernesto Bozzano, (1.862 – 1.943), em sua obra “Fenômenos de bilocação”, criar o termo “desdobramento”, circunstanciando detalhadamente, os processos que envolvem os veículos de manifestação do espírito reencarnado, dentro de uma ordem setenária.

Mas, se temos hoje o privilégio e a oportunidade de conhecê-la e de nos utilizarmos dessa magnífica Terapia de cura, é graças ao Dr. José Lacerda de Azevedo, que foi em nosso plano, Médico e Espírita, extremamente bem conceituado. O Dr. Lacerda criou esse termo em 1.965, após conhecer e experienciar uma técnica de cura denominada Hipnometria, que era na época empregada em enfermos em geral, com excelentes resultados, pelo psiquista Porto-riquenho Luiz Rodrigues.

Sr.-Luiz-Rodrigues

Em 1965 o Sr. Luiz Rodrigues, cidadão Porto-Riquenho (psiquista de profissão, famacêutico-bioquimico que desenvolvia estudos sobre o psiquismo), radicado há muitos anos no Rio de Janeiro, necessitou de uma intervenção cirúrgica em um de seus olhos e foi ao Hospital Espírita de Porto Alegre para ser operado pelo Dr. Alfredo Geraldo Shermann, famoso oftalmologista criador do Banco de Olhos no Brasil.

O Sr. Luiz Rodrigues havia já apresentado a HIPNOMETRIA no ano de 1963 no VI Congresso Espírita Pan-americano em Buenos Aires, Argentina. Há muito vinha já ele empregando essa técnica nos enfermos em geral com resultados que ele próprio considerava satisfatório. Essa técnica consistia na utilização de impulsos magnéticos em seus pacientes, contados a partir da idade dos mesmos até o número zero. Nesse momento, o paciente se encontrava fora de corpo físico, onde equipes de médicos e enfermeiros desencarnados, segundo Luiz J. Rodrigues, cuidavam e orientavam terapêuticas a serem seguidas para aquele caso. Em seus trabalhos, contava sempre com a colaboração de sua enfermeira particular.

Luiz J. Rodrigues fazia questão de dizer que era uma nova técnica de diagnóstico e tratamento de doenças de enfermidades diversas psicossomáticas, mediante o afastamento dos corpos sensoriais do paciente e envio a hospitais do mundo paralelo ao nosso mundo físico para serem tratados. Dizia que não se tratava de mediação e que o afastamento dos corpos sutis era anímico.

Logo após a cirurgia, Luiz J. Rodrigues relatou a Conrado R. Ferrari, Presidente do Hospital Espírita as suas experiências com a hipnometria. Ao qual este percebendo a importância do que ouvia combinou com Luiz J. Rodrigues uma demonstração dessa técnica nas dependências do Hospital a um grupo de espíritas eminentes.

A uma primeira vista sua técnica em nada parecia diferir dos processos mediúnicos do espiritismo kardequiano, não obstante insistisse em afirmar que não professava a Doutrina.

Mas diferia sim. E muito: ao invés de médicos desencarnados vieram até o paciente, era o paciente que, desdobrado, ia até os médicos do astral para diagnóstico e terapêutica.

O Dr. Lacerda assistiu a duas dessas demonstrações e vislumbrou no interessante procedimento experimental, um imenso campo de investigações e aplicações. Disposto a comprovar particularmente a veracidade da técnica, escolheu inicialmente como “sujet”, sua própria esposa, médium de grande sensibilidade e com muitos anos de prática mediúnica. Cumprindo a metodologia preconizada pelo Sr. Rodrigues, com evidente surpresa, constatou a eficiência da mesma, pois a médium quando em desdobramento, vislumbrava cenas de mundo espiritual, descrevendo detalhadamente os acontecimentos com os quais manteve contato.

Posteriormente ela foi conduzida a um complexo hospitalar na dimensão espiritual identificando como Hospital amor e Caridade, de onde partiam o auxilio e a cobertura aos trabalhos assistenciais dirigidos por ele.

Outros médiuns, habituados às práticas mediúnicas, foram também testados e diante do consenso obtido pelo cotejamento de informações, ele constatou em definitivo a positividade da técnica.

Do Sr. Luiz J. Rodrigues não se teve mais noticias até seu desencarne.

FUNDAMENTAÇÃO

Dr. José Lacerda de Azevedo, nascido em 12 de junho de 1919 (1919 – 1999) formado em medicina pela Universidade federal do Rio Grande do Sul, turma de 1950 e ex professor de física da escola Senai (POA). Cirurgião, Ginecologista e mais tarde Clínico Geral. Espírita de filosofia Kardecista desde a juventude, com longa folha de serviço prestado, foi um humanista, com inteligência brilhante, cientista nato, observador arguto, detentor de uma cultura enciclopédica.

Possuía um enorme acervo de livros que enchia quase todas as paredes de sua casa, com prateleiras do chão até o teto, de obras dos mais variados assuntos. Homem de sólida cultura, com conhecimentos aprofundados em matemática, física, química, botânica, história geral, história da França, história do cristianismo, história da I e II guerras mundiais, foi o responsável pelo desenvolvimento e fundamentação científica da APOMETRIA. Era também artista cultor da pintura a óleo, tendo criado diversos quadros, inclusive um auto retrato, quando jovem… Casou-se em 1947, com sua prima Sra. Yolanda Lacerda de Azevedo, médium dedicada e caridosa.

O convite do Sr. Conrado Ferrari para uma demonstração de Hipnometria, dirigida pelo Sr. Luiz J. Rodrigues, no Hospital Espírita de Porto Alegre, foi a partida para que o Dr. Lacerda desenvolvesse e fundamentasse cientificamente a técnica.

O Dr. Lacerda não adotou o nome de Hipnometria, pois dava a conotação de sono ou hipnose. Utilizou o nome de Apometria, partindo das palavras gregas APO = além de e METRON = medida.

Portanto, a palavra Apometria, significa desdobramento dos corpos sensoriais, fenômeno de bilocação, bastante experimentada e analisada por diversos autores e estudiosos.

No início dos trabalhos de fundamentação a Apometria, seu estudo e aplicação ficaram restritos às dependências do Hospital Espírita de Porto Alegre HEPA. Em meados da década de 70, os seus fundamentos científicos já estavam estabelecidos. Em 1975, o Dr. Lacerda apresentou uma conferência no X Congresso Americano de Espiritismo em Mar Del Plata, Argentina, onde expôs a tese: A Ciência da Espiritualidade Aplicada à Medicina onde discorria sobre Apometria, Doenças espirituais, aparelhos, Parasitas, Despolarização dos estímulos da Memória e Casuística – foi a 1ª oportunidade de falar sobre o assunto fora do Brasil.

Formulada as equações e fundamentada cientificamente a Apometria, Dr. Lacerda iniciou a redação do texto que deu origem ao livro básico dessa técnica.

O LIVRO

emnhpmEm 1977, é publicado a 1ª edição do “ESPÍRITO E MATÉRIA NOVOS HORIZONTES PARA A MEDICINA” com o que a Apometria ganha domínio público.

Em 1991, 1993, 1995, 1997 e 2000 aconteceram os I, II, III, IV e V Congresso Brasileiro de Apometria nas cidades de Caxias – RS (1991 1993), Porto Alegre (1997), Lages – SC (1995 e 2000), onde inúmeros trabalhos e teses sobre Apometria foram apresentados. Particularmente o IV Congresso de Porto Alegre, constituiu-se um grande sucesso, tendo 600 participantes nas diversas sessões.

http://www.apometriaalvorecer.org.br/wp-content/uploads/2015/09/ORIGENS-DA-APOMETRIA.jpghttp://www.apometriaalvorecer.org.br/wp-content/uploads/2015/09/ORIGENS-DA-APOMETRIA-300x300.jpgalvorecerApometriaApometria,lacerda,luis,origem,rodrigues
Apometria é uma técnica de cura oriunda da Aumbandhã – Lei Maior Divina ou Sabedoria Secreta, setenária e esotérica, originária de uma estrela da Constelação de Sírius, muito próxima ao Grande Sol Central. Ela é por nós conhecida desde os tempos de Atlântida, época em que nosso querido Ramatis...