O DIRIGENTE DAS TREVAS

Esta é uma figura frequente nos trabalhos de desobsessão. Comparece para observar, estudar, sondar, sentir mais de perto os métodos de ação do grupo, a fim de poder tomar suas providências. Foi geralmente um encarnado poderoso, que ocupou posições de mando. Acostumado ao exercício da autoridade incontestada, é arrogante, frio, calculista, inteligente, experimentado, violento. Não dispõe de paciência para o diálogo, pois está habituado apenas a expedir ordens e não a debater problemas, ainda mais com seres que considera inferiores e ignorantes, como os pobres componentes de um grupo de desobsessão.

Situa­se num plano de olímpica superioridade e nada vem pedir; vem exigir, ordenar, ameaçar, intimidar. Tais dirigentes são ágeis de raciocínio, envolventes, inescrupulosos, pois o poder de que desfrutam não pode escorar­-se na doçura, na tolerância, na humildade, e sim na agressividade, na desconfiança, no ódio. Enquanto odeiam e infligem dores aos outros, estão esquecidos das próprias angústias, como se a contemplação do sofrimento alheio provocasse neles generalizada insensibilização.

Evitam descer do pedestal em que se colocam para revelar-­nos seus problemas pessoais, mesmo porque, consciente ou inconscientemente, temem tais revelações, que personalizam os problemas que enfrentam e os colocam na “perigosa” faixa de sintonia emocional que abre as portas de acesso à intimidade do ser. Não são executores, gostam de deixar bem claro, são chefes. Estão ali somente para colher elementos para suas decisões; a execução ficará sempre a cargo de seus asseclas. Comparecem cercados de toda a pompa, envolvidos em imponentes vestimentas, portando símbolos, anéis, indicadores, enfim, de elevada condição.

Estão rodeados de servidores, acólitos, guardas, escravos, assessores, às vezes armados, montados em animais ou transportados sob pálios, como figuras de grandes sacerdotes e imperadores. Um deles me disse, certa vez, que eu não o estava tratando com o devido respeito — o que não era verdadeiro — porque achava impertinentes minhas perguntas e comentários. Para me dar uma ideia da sua grandeza, informou­-me que, quando se deslocava, iam à frente dele áulicos, tocando campainhas portáteis, para que todos abrissem alas e soubessem quem vinha.

Pobre irmão desorientado! Num irresistível processo de regressão de memória, invisível aos nossos olhos, mas de tremendo realismo para ele, contemplou, com horror, sua antiga condição: participara do doloroso drama da Crucificação do Cristo. O impacto desta revelação, ou seja, desta lembrança, que emergiu, incontrolável, dos registros indeléveis do seu perispírito, deixaram­no em estado de choque e desespero, pois vinha nos afirmando, desde a primeira manifestação, que era um dos trabalhadores do Cristo e não desejava senão restabelecer o poderio da sua Igreja.
Fonte: Trecho extraido do Livro “Diálogo com as Sombras” Autor: Herminio Correa de Miranda Imagem: pexels.com/pt-br/@mart-production/

Final dos tempos, salvação, comportamento humano,rotinas religiosas, sociais, familiares, escolhidos,eleitos, exilados, condenados… Depois dos romances “despedindo-se da terra” e “esculpindo o própio destino”, Lucius completa esta trilogia temática apresentando seu novo livro, no qual os Espíritos Bezerra de Menezes, Jerônimo e Adelino oferecem…
Autor: André Luiz Ruiz
Espírito: Lucius (Espírito)
URL: HERDEIRO DO  MUNDO NOVO

Sentado à mesa de um bar na Avenida Paulista, Erasmino vê um caboclo pular do Masp em direção ao Parque Trianon. É com essa cena insólita que o protagonista de Tambores de Angola, quatro anos mais tarde, vê-se de volta ao ponto de partida de sua história. Surpreendendo o leitor, 17 anos e quase 200 mil exemplares depois, Ângelo Inácio escreve três capítulos inéditos, compartilhando os desdobramentos da história do rapaz, que…
Autor: Robson Pinheiro  Espírito: Ângelo Inácio 
URL: Tambores de Angola

Neste maravilhoso livro, Haroldo Dutra Dias traz ensinamentos do Antigo Testamento, Novo Testamento, das Obras Básicas e outras obras da literatura espírita – principalmente as obras de Emmanuel e André Luiz – com explicações e orientações para o momento que estamos vivendo. Aborda de forma clara, leve e didática, temas relevantes diante dos desafios e atribulações da transição planetária. Com isso, nos auxilia a DESPERTAR a força…
Autor: Haroldo Dutra Dias

URL:  Despertar: Nossos desafios na transição planetáriaDespertar do Espírito