09 - O Mundo AstralVisto de cima, o mundo astral de matéria mais fina parece um gigantesco planeta… envolvendo estreitamente a Terra. Tão estreitamente que o globo terrestre, em relação ao tamanho do mundo astral, assemelha-se a um pequeno caroço envolvido por enorme fruta.

Pode ainda ser expressado de outra maneira. A Terra encontra-se tão estreitamente cingida pelo mundo astral de matéria mais fina, que não se percebe onde um termina e o outro começa. Todo aquele que deixa a Terra ou aquele que para ela se dirige, a fim de se encarnar, tem que atravessar esse mundo astral que envolve a Terra como um segundo planeta.

Representa uma espécie de estação de passagem, e simultaneamente um lugar de Estadia, para todas as almas humanas encarnadas na Terra, que durante o sono se desligam de seus corpos terrenos.

Do ponto de vista paisagístico o mundo astral é semelhante à Terra. Existem montanhas, mares, rios, lagos, e também cidades e aldeias, bem como navios, automóveis, aviões, etc… Nem podia ser de outra maneira, pois a Terra de matéria grosseira é apenas uma cópia dos mundos de matéria mais fina que já existiam anteriormente.

As delimitações entre a Terra e esse mundo de matéria mais fina, que a envolve, não podem ser estabelecidas, uma vez que na realidade não há limites. Para melhor compreensão, citemos um exemplo: uma senhora já meio adormecida, ouve vozes. Ao mesmo tempo, percebe que no mesmo quarto, perto de si, se encontram ainda mais outras pessoas.

Aquela senhora não sabe que ela verá essas pessoas tão logo esteja completamente adormecida e sua alma possa se desprender. Tampouco pressente que está ligada a essas pessoas por fios do destino.

Portanto, essa senhora ouviu vozes no mesmo quarto onde adormeceu. Isso é perfeitamente natural, pois no mesmo lugar onde se encontra a sua morada terrena, encontra-se também uma outra casa de espécie fino-material pertencente ao mundo de matéria mais fina que envolve a Terra.

Como sabemos pela Mensagem do Graal, não há uma separação entre o Aquém e Além. O ser humano chama Além, tudo aquilo que não pode ver e que se encontra fora de sua capacidade visual.

Não deixa de ser extraordinariamente difícil descrever, mesmo de maneira aproximada, para que os leitores possam ter uma impressão correta, as condições desse ambiente mais fino da Terra e que está tão estreitamente ligado à humanidade.

Preliminarmente vamos observar a vida de um médico que escolheu esta profissão baseando-se exclusivamente em motivos intelectuais, não obstante, segundo o querer intuitivo de sua alma, desejasse ser fazendeiro, comerciante, ator, aviador, artesão ou ter qualquer outra profissão. Durante a noite, sua alma, ao desligar-se do corpo terreno, procurará no mundo de matéria fina, atividades que com toda a certeza estarão em absoluto contraste com a profissão de médico.

Já outras pessoas, por exemplo, que teriam preferido estudar medicina, mas que não tiveram condições materiais financeiras de o fazer, tratando-se de criaturas humanas boas, no seu querer, influenciado pelo espírito, encontrará realização no fino mundo astral. Terão a oportunidade de aprender a arte de curar e simultaneamente auxiliar outras almas humanas.

Não obstante tratar-se, no segundo exemplo, de pessoas relativamente boas, evidencia-se, por outro lado, que faltou a essas criaturas a indispensável energia para criar para si as possibilidades de estudo. Portanto, também aqui se demonstra a discrepância existente entre a vontade intuitiva do espírito e da alma, e a vontade do raciocínio que se encontra preso à Terra.

É uma discordância que acarreta insegurança e descontentamento!

Especialmente trágicas manifestam-se as condições desarmoniosas na vida conjugal, pois a maioria dos casamentos são uniões que foram concluídas por considerações do raciocínio. A essas considerações do raciocínio pertence também a embriaguez dos sentidos, chamada “amor”, na qual a atração física mútua representa um grande papel.

Tais uniões matrimoniais são trágicas por não terem sido contraídas por amor puro, faltando-lhes conseqüentemente a ligação espiritual que une ambos os contraentes de um matrimônio. Suas almas são estranhas uma a outra. Não se conhecem, quando à noite, durante o sono de seus corpos físicos, se encontram no mundo astral. Cada qual trilha seus próprios caminhos. Sentem-se atraídos para as almas humanas que correspondem mais a sua essência intima do que aquela do seu cônjuge terreno. Procurarão e encontrarão outros companheiros.

Cada um pode facilmente imaginar que tal “vida dupla”, não contribui para a harmonia e o fortalecimento do casamento contraído na Terra. Pelo contrário! Disso resultam conflitos imprevisíveis que são devidos, essencialmente, ao fato de os casamentos terem sido contraídos sob bases falsas. Decepções, infidelidades e indiferenças constituirão o séqüito invisível de cada união errada.

https://www.apometriaalvorecer.org.br/wp-content/uploads/2014/08/09-O-Mundo-Astral.jpghttps://www.apometriaalvorecer.org.br/wp-content/uploads/2014/08/09-O-Mundo-Astral-300x300.jpgalvorecerCienciaEspiritualidadeastral,matéria,mundo,planeta
Visto de cima, o mundo astral de matéria mais fina parece um gigantesco planeta... envolvendo estreitamente a Terra. Tão estreitamente que o globo terrestre, em relação ao tamanho do mundo astral, assemelha-se a um pequeno caroço envolvido por enorme fruta. Pode ainda ser expressado de outra maneira. A Terra encontra-se...