O TRANSPORTADORDeslocando-se rapidamente pelo espaço sob a liderança de Bezerra, o grupo chegou a um ponto isolado no seio da floresta Amazônica, em afastada região do solo brasileiro. A noite intensa e silenciosa se tornava ainda mais imponente aos olhares espirituais porquanto a escuridão ressaltava a beleza da colcha estrelada que se impunha sobre as imensas árvores naquele rincão isolado da Pátria do Cruzeiro do Sul.

No entanto, se na esfera física o olhar humano se limitaria ao mar verdejante das copas vegetais da vastidão intocada, na esfera espiritual o ambiente era absolutamente diferente. Indescritível atividade transformava a atmosfera espiritual em um grande embarcadouro. De todas as partes, chegavam veículos espirituais de diversas formas e tamanhos conduzindo contingentes de entidades necessitadas, vindas de diversos climas terrenos e astrais. Observando a surpresa de seus acompanhantes, Bezerra se pôs a esclarecer às mudas indagações de todos.

Como sabem, em todas as regiões da Terra se organiza a execução dos Planos Divinos para a melhoria da Escola Humana. Dessa forma, em várias partes do planeta encontramos locais como este, para onde são levadas as entidades que, não tendo mais condições de se manterem num planeta que não respeitaram, nem em um padrão de conduta mental e nem emocional compatível com a nova ordem vibratória que se instala na Terra, já estão sendo recolhidos por ativos trabalhadores espirituais com a missão de organizarem a retirada dos “incompatíveis”, bem como o seu transporte para o centro de espera onde se adaptarão para os novos destinos que os aguardam. Talvez lhes pareça surpreendente a existência de tal quantidade de aparatos e veículos indo e vindo, mas, em realidade, estamos tratando com entidades que não dispõem de condições mentais de equilíbrio ou de entendimento para agirem por si mesmas, acompanhando deslocamentos dirigidos por espíritos de maior evolução. Não nos esqueçamos de que, em toda a caravana, as limitações dos mais fracos costumam definir as condições do deslocamento para todo o grupo. Então, a bondade divina se ocupa em produzir meios menos demorados e difíceis para que o trabalho do Bem tenha a continuidade necessária no prazo estabelecido. Tais transportadores espirituais existem em toda esta zona vibratória servindo, ao mesmo tempo, de ambulância que atende às necessidades de cada espírito e de transporte para a zona de reunião, a fim de encaminhá-los.

Observando o campo a perder-se de vista, Jerônimo, Adelino e Alfredo estavam impressionados. Já havia visto diversos tipos de veículos, inclusive em apoio oferecido ao trabalho das diversas instituições religiosas na Terra, notadamente casas espíritas, para o benefício e o encaminhamento de grandes quantidades de almas para níveis vibratórios menos densos – falou Jerônimo, aproveitando a pausa de Bezerra. No entanto, jamais presenciei trabalho em uma escala tão gigantesca como este. Nem eu – acrescentou Adelino. Sim, meus filhos. A envergadura da empresa está sempre condicionada pela dimensão dos objetivos. Quando falamos em termos de auxílio espiritual para grupos de entidades que são esclarecidas ou amparadas nas reuniões espirituais, certamente que se faz necessária uma forma mais apropriada para o seu transporte, mormente para as adormecidas ou inconscientes que já estejam capacitadas para receber o auxílio em uma outra esfera vibratória. Assim, os veículos coletivos de transporte são usados em abundância para os fins pretendido, em nome do Amor Maior. No entanto, o que estamos presenciando neste momento, não é apenas o deslocamento de entidades de um plano magnético denso para outro menos denso. Estamos observando os preparativos para a mudança de planeta. Imaginam vocês, que as modificações vibratórias são extremamente mais graves do que no primeiro caso. Observando que os amigos ainda não haviam se dado conta de toda a extensão e envergadura daquela atividade, Bezerra continuou explicando:

Estamos visualizando o campo de pouso onde as naves espirituais de diversas regiões do continente sul-americano se congregam com a finalidade de entregar as entidades cujo teor vibratório tenha se tornado incompatível com as novas exigências espirituais e morais da Terra. Estes espíritos foram retirados de inumeráveis centros religiosos, de instituições públicas, de moradias dos encarnados, de furnas trevosas, e cada um deles em um estado vibratório e evolutivo muito deficiente e com níveis energéticos muito díspares. Equipes de espíritos especializados em visita a todas as cidades terrena se encarregam de recolher tais criaturas, usando a energia necessária para que não frustrem as Leis Soberanas, mas sem as violências incompatíveis com a Bondade.

As instituições religiosas, nas quais se concentram energias menos inferiores devido à elevação de sentimentos e pensamentos, encontramos um contingente mais volumoso de espíritos aflitos que procura entendimento e reforma verdadeira. Como Deus não deseja o sofrimento do culpado, mas a sua modificação, tais núcleos da fé representam a última oportunidade de mudança real através do arrependimento sincero e do impulso de transformação que se demonstre. No entanto, como já lhes foi explicado, não será com arrependimentos de ocasião, que os espíritos conseguirão impedir que o destino se imponha com sua força sobre eles. Poderão acordar para o entendimento e, dessa forma, ser encaminhados para as lições que lhes caibam ao caso pessoal, seja em povos terrenos menos avançados, seja no novo mundo que aguarda por espíritos menos desenvolvidos que os povos primitivos que lá habitam.

Fora de tais ambientes, onde a oração e os conceitos espirituais podem facilitar a meditação nos rebeldes e indiferentes, pela ação do Bem como critério de seleção segundo o grau de afinidade e sintonia, nas outras partes do continente em foco, nas cidades, nas ruas, nas casas, nos locais públicos, os espíritos executores da Justiça também promovem a seleção direta e a organização da retirada. Trata-se de um trabalho lento, mas constante. Alfredo, impressionado, aproveitou para perguntar: Mas, Dr. Bezerra, e se algum desses não aceitar o convite e desejar continuar agindo no Mal ou, se for o caso, procurar fugir dos Guardiões do Bem? Nada está improvisado, Alfredo, e a Inteligência do Universo sabe encontrar todos os que serão passageiros da última viagem, mas não imaginemos os Bons Espíritos transformados em uma milícia caçadora de fugitivos, como um pelotão de polícia. As qualidades espirituais superiores dispensam as grotescas cenas de perseguição próprias dos filmes de Hollywood. O processo é dirigido pelos chamados Espíritos Executores cujas forças, projetando-se sobre os réprobos, os envolvendo de forma que a maioria deles se rende pacificamente porque a consciência que se lhes desperta de súbito identifica as próprias culpas e entende ter chegado a hora do ajuste indispensável.

A chegada dos Guardiões é interpretada pelos que se condenaram como o encontro com o Anjo da Verdade, aquele que não se consegue enganar e que, dócil e benevolente, vem libertar o infeliz do acúmulo do mal que o escravizava há séculos. Então, em seu íntimo, o espírito recorda os compromissos não enfrentados, os erros e crimes cometidos, identificando a real situação de sua alma e o desperdício da última oportunidade de renovação no sentido da salvação de si mesmo. Sob a vibração extremamente amorosa e imponente dos Executores da Celeste Justiça, deixam-se carregar sem oposição violenta, encaminhados para os veículos de transporte onde, graças ao ambiente preparado pelos fluidos calmantes, veem-se invadidos por um torpor agradável e adormecem para a longa viagem que os espera.

Durante esse sono, recebem a oportunidade de resgatar do inconsciente as lembranças vívidas de seus crimes, as promessas não cumpridas, a imensa gama de equívocos já praticados e que precisam de correções. Quando despertam para os novos destinos, trazem em si mesmos a noção muito clara dos motivos pelos quais precisam aproveitar uma nova oportunidade em um novo planeta com novos projetos. Entretanto, existem entidades menos maduras, espíritos de uma primitividade atroz e que, em casos tais, precisam ser submetidos por forças imperativas que os imobilizam na inconsciência temporária, favorecendo a sua incorporação à caravana dos degredados da Terra.

Para os que fogem – como você quer saber – tais Espíritos Executores sabem que, agora ou depois, eles serão encontrados e resgatados e em piores condições. Por isso, deixam-nos por mais algum tempo até que o resgate os encontre, o que acontecerá sem nenhuma margem para equívocos. E isso é assim porque estamos falando de magnetismo. Misture a limalha de ferro a um monte de farinha. Num primeiro momento, parecerá muito difícil resgatar todo o ferro perdido nesse meio. Entretanto, aproxime um ímã e você separará facilmente o ferro da farinha, até a última fagulha, porque a atração é irresistível. Assim, tais espíritos sempre serão achados.

Mas, Dr. Bezerra, cada um deles está em um nível energético diferente. Devem existir cuidados específicos para o transporte sem prejuízo para o nível vibratório de cada um, não?

Esse fato é levado em conta pelas inteligências responsáveis pela organização do traslado. Assim, o sono já é um fator facilitador da tarefa, uma vez que, adormecidos, cada um está impedido de se assustar com o estado repugnante em que o outro se encontre. Além disso, em cada transportador existem setores adequados para espíritos de níveis diferentes, o que, por certo, os preserva de maiores choques. E por isso também, que tal esforço se realiza num ambiente agreste e virgem, no seio da floresta, para que as vibrações densas dos aglomerados humanos não tornem ainda pior esse processo.

Temos aqui espíritos que são retirados de várias esferas inferiores, localizadas no interior da crosta, além daqueles que estão orbitando o nível dos próprios encarnados. Ao chegarem aqui, são selecionados pelos padrões em que se encontram e encaminhados ao grande navio.

A região onde se localizavam os atracadouros de todos estes veículos espirituais de transporte, naquele centro de triagem, fazia-se iluminada por fraca claridade, cuja finalidade era a de iluminar sem produzir choques desagradáveis nos que chegavam. Um pouco mais adiante, flutuando sobre o vasto lago que fluía sobre terras brasileiras, imenso iate de dimensões nunca vistas antes se postava, sereno.

Os três acompanhantes do Dr. Bezerra ainda não haviam percebido os contornos de tal veículo gigantesco e que servia de destino para todas as entidades que chegavam àquele local. Somente quando o venerando Médico dos Pobres apontou em sua direção é que, fixando o olhar, puderam identificar a ciclópica embarcação. Mas é um navio!?

Sim, meu amigo. É uma espécie de navio, mas que é governado por princípios eletromagnéticos diferentes daqueles que conduzem as embarcações humanas pelos oceanos. Para lá são encaminhados todos os que chegam e, como cada qual têm suas peculiaridades, em cada nível desse transportador espiritual encontramos ambiente adequado às vibrações de seus ocupantes. Níveis e subníveis são usados para a separação fluídica, segundo o teor energético, protegendo e preservando seus ocupantes de choques desnecessários, até que cheguem ao provisório destino que os aguarda.

Cada embarcação dessa é capaz de receber ao redor de dois milhões de entidades. Uma vez completada sua ocupação, se deslocará deixando o porto livre para outra que a substitua na mesma tarefa. Recordando-se dos ensinamentos das religiões tradicionais, Alfredo exclamou: E uma espécie de Arca de Noé! Só que ocupada apenas por espíritos humanos, adormecidos, e encaminhados para a evolução em outro mundo.

Gostariam de visitá-la para observar como se organiza? Era isso mesmo que ia solicitar ao senhor, doutor Bezerra – falou Adelino. Vamos até lá. Mas deveremos obedecer às disciplinas próprias da embarcação para nos harmonizarmos com as rotinas internas na execução de tão complexa tarefa. Com isso não criaremos obstáculos aos irmãos que lá trabalham. Entendendo as advertências, acompanharam o amigo e instrutor para a averiguação do interior da vasta nave de transporte espiritual. Chegando ao nível principal, Bezerra dirigiu-se ao Espírito que tinha as funções de Comandante, que parecia conhecê-lo desde longa data.

Prezado Alírio, estimaria contar com a sua permissão para ingressar no transportador com um grupo de amigos em tarefas de instrução. Sua presença entre nós, doutor, sempre será motivo de satisfação e alegria, sobretudo quando acompanhado de outros companheiros que estão estagiando em busca de conhecimentos. Para tanto, colocarei à disposição de todos nosso irmão Lucas, que poderá levá-los a qualquer parte do transportador a fim de observarem o que desejam. Devo avisá-los que a partir do nível 25, é que aconselharia a visita com escolta uma vez que, mesmo contidos em suas celas, tais entidades podem se tornar violentas quando percebem a presença de alguém em seus domínios, como pensam ainda estar. Não se impressionem com os gritos nem com o odor do ambiente porque, para o nível de consciência e evolução em que se encontram, a falta de controle deles próprios impede que se apresentem em outro estado de densidade.

Agradecemos, Alírio, e esteja certo de que não deixaremos de seguir à risca as suas recomendações. Tão logo deixaram o posto de comando, aproveitando a oportunidade para o entendimento direto, Bezerra solicitou ao auxiliar que os acompanhava que explicasse aos novatos amigos como se estruturava aquele veículo. Sem perda de tempo, Lucas iniciou breve relatório: Nossa finalidade é o transporte coletivo de espíritos para fora da zona de influenciação imediata do magnetismo terrestre. Por isso, até que estejamos na área de destino final deste deslocamento, esta embarcação é dotada de aclimatadores fluídicos para os diferentes graus evolutivos de entidades nele acomodadas. Para causar-lhes o menor impacto possível, temos os níveis mais inferiores, onde a escuridão e a densidade se assemelham aos ambientes onde algumas se encontravam. Níveis mais acima, já se pode respirar uma outra atmosfera, mesmo que nos encontremos, ainda, na fase de penumbra. Aí, a incidência magnética específica mantém os seus respectivos passageiros em repouso terapêutico visando os trabalhos da consciência. E assim por diante, cada nível tem suas peculiaridades e necessidades. Não é difícil entender também o panorama em que cada um deles se apresenta. Os níveis menos densos comportam camas individuais em vasto ambiente coletivo, guarnecidas por enfermeiros específicos para as reações decorrentes do tratamento a que estão sendo submetidos. Já nos níveis um pouco mais densos, a organização é dispensável porquanto estas entidades não se aclimatam senão em estados de primitivismo puro, assemelhando-se o local aos de suas antigas habitações, quais grutas ou tocas, de maneira a melhor lhes garantir serenidade, já que muitos deles não são beneficiados com entorpecentes de consciência. São os que chegam aqui imobilizados em decorrência das correntes de energia de contenção. Além do mais, por estarem reunidos em seus antigos bandos, com entidades de igual teor evolutivo, isso coopera para sua tranquilidade e lhes causa uma sensação de segurança.

Mais abaixo, encaminhando-nos para os níveis ainda mais inferiores, estão os que precisam ser retidos em calabouços, a beneficio deles mesmos e do equilíbrio geral porquanto não possuem condições de saírem do primitivismo animal em que ainda se encontram. Depois desse rápido panorama geral sobre as organizações internas, Lucas passou à explicação das rotinas da imensa Nau Transportadora.

Permanecemos aqui até que o nosso contingente limite seja atingido e, então, partimos para o destino que nos espera a fim de entregarmos nossos infelizes irmãos a outros trabalhadores da Justiça, para que sigam com a Execução dos Decretos Divinos.

E quanto tempo demora para que este transportador esteja com sua lotação esgotada? – perguntou Jerônimo. Depende muito da rotina dos encarnados que, às vezes, cooperam bastante para que o volume de espíritos se complete mais depressa. No entanto, os veículos que chegam provenientes dos diversos países do continente sul-americano, ultimamente têm abastecido cada transportador num prazo que vai até dois meses. A conversa ia nesse ritmo quando, descendo por um elevador com aclimatador vibratório para cada nível de destino, os integrantes do grupo começaram a sentir um intenso mal-estar. Lucas, percebendo o incômodo dos visitantes que acompanhavam Bezerra, desculpou-se e informou:

Estão passando mal? Esqueci de alertá-los para as modificações de cada nível. Aqui, neste transporte, encontram-se concentrados em pequeno espaço, vários tipos de campos magnéticos que, na Terra, ocupam imensidões. Por isso, as vastidões que separam os diversos níveis vibratórios impedem que percebamos as mudanças bruscas. Neste ambiente, entretanto, a mudança de campo é muito rápida e, assim, é necessário maior concentração para se adaptar aos níveis que visitaremos, exigindo de nossa vigilância a sintonia a cada ambiente em que penetraremos. Para facilitar a rapidez de nossa adaptação, este elevador é dotado de tecnologia que favorecem a abrupta modificação de nível, sem os contratempos normalmente decorrentes. Mas como vocês são novatos por aqui, é natural que sofram um maior impacto quando nossas atmosferas pessoais são igualadas à do ambiente externo na qual penetraremos quando estivermos adequadamente aclimatados.

Com exceção de Jerônimo e Dr. Bezerra, Adelino e Alfredo precisavam exercitar a vontade através da oração e da assimilação do magnetismo diferente à medida que desciam. Chegando ao primeiro destino, assim que os sensores internos identificaram o equilíbrio vibratório de seus ocupantes em relação ao que os aguardava do lado de fora, as portas foram abertas automaticamente.

Fonte: Trecho extraído do Livro: “HERDEIROS DO NOVO MUNDO” Autor: ESPÍRITO: LUCIUS/MEDIUN: ANDRÉ LUIZ RUIZ

Leitura complementar:

Herdeiros do novo mundo FINAL DOS TEMPOS, SALVAÇÃO, COMPORTAMENTO HUMANO, ROTINAS RELIGIOSAS, SOCIAIS, FAMILIARES, ESCOLHIDOS, ELEITOS, EXILADOS, CONDENADOS… Depois dos romances “DESPEDINDO-SE DA TERRA” e “ESCULPINDO O PRÓPRIO DESTINO”, Lucius completa esta TRILOGIA TEMÁTICA apresentando seu novo livro, no qual os Espíritos Bezerra de Menezes, Jerônimo e Adelino oferecem… Autor: Léon Denis Herdeiros do novo mundo
Amanhecer de Uma Nova Era Com este título promissor – ‘Amanhecer de uma nova era’ –, o nobre Espírito Manoel Philomeno de Miranda, referindo-se à transição planetária pela qual passa o nosso planeta, não só do ponto de vista geológico, mas especialmente no que diz respeito aos aspectos moral e espiritual, esclarece-nos que espíritos evoluídos procedentes de outras dimensões descem às sombras da Terra atendendo ao apelo…Amanhecer de Uma Nova Era
Despertar do Espírito Ruas, praças, escolas, poemas e barcos recebem seu nome. Antes mesmo de aprender a história da França conhecemos a sua. Suas imagens lendárias estão por todos os lados. Numa, camponesa, noutra, capitã. Numa, sentada com suas ovelhas, escutando o que. Deus lhe ordena. Noutra, obedecendo-lhe, montada em um cavalo, feita comandante na guerra. Estranha capitã, que preferia seu estandarte…. Autor: por Robert Bresson (Autor), Robert Mallet (Tradutor) Despertar do Espírito
https://www.apometriaalvorecer.org.br/wp-content/uploads/2022/01/O-TRANSPORTADOR.jpghttps://www.apometriaalvorecer.org.br/wp-content/uploads/2022/01/O-TRANSPORTADOR-300x300.jpgAdminApometriaEspiritualidadeandré,herdeiros,lucios,luiz,mundo,transportador
Deslocando-se rapidamente pelo espaço sob a liderança de Bezerra, o grupo chegou a um ponto isolado no seio da floresta Amazônica, em afastada região do solo brasileiro. A noite intensa e silenciosa se tornava ainda mais imponente aos olhares espirituais porquanto a escuridão ressaltava a beleza da colcha estrelada...