Existe no planeta cerca de 8,7 milhões de especies de animais, até agora catalogadas, mas estima-se que existe mais 7 milhões que continuam desconhecidas.
O cálculo foi publicado por cientistas da revista PloS Biology e é baseado em uma inovadora técnica analítica que torna mais precisas as estimativas realizadas até agora.

Muitas espécies podem desaparecer antes de conhecermos sua existência, seu nicho único, sua função no ecossistema e o sua contribuição potencial para o bem-estar humano, A estimativa leva em conta apenas os seres eucariontes (que têm núcleo celular organizado), deixando de fora os vírus e as bactérias, que possuem uma altíssima variedade.

Além de nos alimentar, vestir e ajudar, os animais são companheiros fiéis. E como já fazem parte da família, quando desencarnam fazem falta, por isso, muitos, questionam: Quantos animais existem, e como ficam estes animais no plano espiritual?

Mas, Existem animais também no mundo espiritual?

O espiritismo define o plano espiritual como uma realidade extra-física, onde os espíritos se encontram. Nele, existem diversas colônias espirituais, onde os chamados espíritos afins, no mesmo nível de evolução se agrupam, formando assim, sociedades.

Já em relação aos animais, eles não possuem a consciência de si mesmo, não escolhem entre o bem e o mal, além de não serem submetidos à Lei de Causa e Efeito.

De acordo com os espíritos superiores, em O Livro dos Espíritos, os animais não são espíritos errantes, ou seja, não possuem o livre-arbítrio. E por conta disso, não podem andar livremente pelo plano espiritual.

Com isso, o que acontece quando eles chegam no plano espiritual?

Outra questão que gera muita dúvida diz respeito a mediunidade dos animais. Quantas vezes não vimos, por exemplo, cachorros latindo para uma parede? Ou então, um cavalo pulando no ar? Os animais são médiuns?

Ainda de acordo com O Livro dos Médiuns, Deus fez os animais para serem companheiros do homem. Eles são auxiliares na nossa evolução. Desta forma, os animais são seres que não possuem a habilidade da consciência dos encarnados.

Entretanto, o que significa quando uma pessoa fala que seu animal vê espíritos?

Os animais por ter uma certa dose de inteligência, são aptos a ver espíritos por conta da energia emitida por eles. Mas daí comparar que o animal pode servir de intermediário para a transmissão do pensamento dos espíritos há um abismo: “a diferença das naturezas”, O Livro dos Médiuns.

“Resumindo: os fatos mediúnicos não se podem manifestar sem o concurso consciente ou inconsciente do médium, e só entre os encarnados, e Espíritos como nós, é que podemos encontrar os que nos podem servir de médiuns. Quanto a educar cães, ou outros animais para fazerem tais exercícios, não é verdade”.

Alguns detalhes de como é a vida dos animais no mundo espiritual chegam até nós através das diversas obras psicografadas. Elas nos trazem informações sobre a existência de cidades específicas para animais e, além disso, falam sobre o trabalho de apoio que muitos deles oferecem em certas atividades.

Logo nas primeira páginas de “Nosso Lar“, André Luiz descreve a vista que ele observa enquanto se encontrava na instituição hospitalar para refazer as suas forças.

“Aves de plumagens policromas cruzavam os ares e, de quando em quando, pousavam agrupadas nas torres muito altas, a se erguerem retilíneas, lembrando lírios gigantescos, rumo ao céu.

Das grandes janelas, observava, curioso, o movimento do parque. Extremamente surpreendido, identificava animais domésticos, entre as árvores frondosas, enfileiradas ao fundo.”, ele descreve.

Os animais prestam importantes serviços no umbral.
Em seguida, quando já estava recuperado e fortalecido, André Luiz acompanhou Narcisa, a enfermeira da colônia que prestava assistência espiritual aos recém-chegados.

Conforme seus relatos, eles estavam esperando uma caravana socorrista que ia chegar trazendo um grupo de Espíritos resgatados do umbral.

Eram os Samaritanos, que ajudavam os Espíritos sofredores que estivessem em condições de entrar na colônia, e os transportavam, então, até os seus portões.

André Luiz narra assim a sua nova experiência: “Ali estivemos, minutos longos, parados na contemplação dos campos silenciosos. Em dado momento, porém, uma amiga indicou um ponto escuro no horizonte enluarado, e observou:

– Aí vêm eles!

Identifiquei a caravana que avançava em nossa direção, sob a claridade do céu. De repente, ouvi o ladrar de cães, a grande distância.

– São os cães, nossos auxiliares preciosos nas regiões obscuras do umbral, onde não estacionam somente os homens desencarnados, mas também verdadeiros monstros.

A enfermeira, em voz ativa, chamou os servos distantes, enviando um deles ao interior, transmitindo avisos. Fixei atentamente o grupo estranho que se aproximava.

Seis grandes carros, formato diligência, precedidos da matilhas de cães, eram puxados por animais que, mesmo de longe, me pareceram iguais aos muares terrestres.

Mas a nota mais interessante era os grandes bandos de aves, de corpo volumoso, que voavam a curta distância, acima dos carros, produzindo estranhos ruídos.

– Os cães facilitam o trabalho, os muares suportam cargas pacientemente e fornecem calor nas zonas onde se faça necessário; e aquelas aves, que chamamos de íbis viajores, são excelentes auxiliares dos Samaritanos, por devorarem as formas mentais perversas, entrando em luta franca com as trevas umbralinas.”

Os nossos bons companheiros recebem cuidados amorosos no plano espiritual.
Allan Kardec e André Luiz nos fazem saber, através de suas obras, que os animais, depois que morrem, ficam sob os cuidados de Espíritos especializados.

Esses trabalhadores têm a tarefa de cuidar dos animais, assim como de classificá-los e agrupá-los por espécies. Em seguida, eles podem reencarnar ou podem ser destacados para algumas tarefas, como vimos acima na descrição de André Luiz.

Os animais, assim como os seres humanos, são seres dotados de espírito. Com isto, é possível que afirmemos que esses seres também reencarnam. Segundo a doutrina do Espiritismo, todos os elementos do Reino Animal possuem um espírito reencarnante. Entretanto, os animais da classe dos mamíferos possuem espíritos mais próximos das características humanas de evolução. Por isso é que a reencarnação dos animais é próxima da nossa, salvo o livre-arbítrio, o qual apenas os seres humanos têm.

Após a partida de um animal, apenas o seu espírito é reparado, pois, eles não têm uma consciência tão complexa como a nossa para se trabalhar. A partir disto, vemos que o processo de reencarnação dos animais é mais ágil e fluído do que a reencarnação humana.

https://www.apometriaalvorecer.org.br/wp-content/uploads/2022/03/OS-ANIMAIS-NO-MUNDO-ESPIRITUAL-A-1024x576.jpghttps://www.apometriaalvorecer.org.br/wp-content/uploads/2022/03/OS-ANIMAIS-NO-MUNDO-ESPIRITUAL-A-300x300.jpgAdminApometriaEspiritualidadeanimais,caravana,Espiritual,matilha,mundo
Existe no planeta cerca de 8,7 milhões de especies de animais, até agora catalogadas, mas estima-se que existe mais 7 milhões que continuam desconhecidas. O cálculo foi publicado por cientistas da revista PloS Biology e é baseado em uma inovadora técnica analítica que torna mais precisas as estimativas realizadas...